sábado, 14 de maio de 2011

Sumir


Minha vontade é sumir. Chamar você. Me esconder. Ir até a sua casa e te beijar e dizer que te amo e que você é importante demais na minha vida para eu te abandonar.
Sacudir você e dizer que você é um otário porque está me perdendo dessa maneira.
Minha vontade é de sumir, porque só faço besteira em sua presença, fico muda quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar.
Sumir, porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter presente e o passado ser mais fluido que o ar.
Sumir, porque não há o que se possa resgatar, meu sumiço é covarde mas atento, meio fajuto meio autêntico,
Sumir.... porque sumir é um jogo de paciência, ausentar-se é risco e sapiência,
pareço desinteressada, mas preciso sumir para estar para sempre do seu lado, a saudade fará mais por nós dois que nosso amor e sua desajeitada e irrefletida permanência.
Minha vontade é esquecer você. Apagar você da minha vida. Lembrar de você a cada manhã. Pensar em você para dormir melhor. Então eu percebo: IT’S ME, e minhas vontades são bipolares demais. Só o que não é bipolar demais é a minha ganancia por te ter. Sim, eu escolheria você. Se me dessem um último pedido, eu escolheria você. Se a vida acabasse hoje ou daqui mil anos, eu escolheria você…

2 comentários:

Márcio Ahimsa disse...

Poder escolher é o primeiro passo da lucidez de amar. Ser escolhido juntamente com essa possibilidade de escolher é o desvario de se estar livre entre a asa e o vento, no intestino do furacão.



Beijo Cris.

EU SOU NEGUINHA disse...

Menina....
Segure o amor em suas mãos...
Beijos