quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Paz profunda


Havia um Rei que ofereceu um grande prêmio ao artista
que fosse capaz de captar em uma pintura a Paz Profunda.
Muitos artistas apresentaram suas telas.
O Rei observou e admirou todas as pinturas,
mas houve apenas duas de que ele realmente gostou e teve de escolher entre ambas.
A primeira era um lago muito tranqüilo.
Este lago era um espelho perfeito onde se refletiam plácidas
montanhas que o rodeavam.
Sobre elas encontrava-se um paraíso muito azul com tênues nuvens brancas.
Todos os que olharam para esta pintura pensaram que ela refletia a Paz Profunda.
A segunda pintura também tinha montanhas.
Mas estas eram escabrosas e estavam despidas de vegetação.
Sobre elas havia um paraíso tempestuoso do qual se precipitava
um forte aguaceiro com relâmpagos e trovões.
Montanha abaixo parecia retumbar uma espumosa torrente de água.
Tudo isto se revelava nada pacífico.

Mas, quando o Rei observou mais atentamente,
reparou que atrás da cascata havia um arbusto crescendo de uma fenda na rocha.
Neste arbusto encontrava-se um ninho.
Ali, em meio ao ruído da violenta turbulência da água, estava um passarinho placidamente sentado no seu ninho...
Em Profunda Paz!

PAZ PROFUNDA não significa estar em um lugar sem ruídos,
sem problemas, sem trabalho árduo para realizar ou livre das dores, sofrimentos e das tentações.
PAZ PROFUNDA significa que, apesar de se estar em meio a tudo isso,
permanecemos calmos e confiantes no nosso coração. Lá encontraremos a Verdadeira PAZ PROFUNDA.
Em SILENCIOSA MEDITAÇÃO.

Feliz 2009 pra todos, com a verdadeira paz, a paz profunda!!
bjinhus carinhosos da Cris Rubi

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Amor: difícil de se entender


Numa relaçao sempre há erros e acertos, de ambas as partes.
Não há vítima ou vilão.
Uma relação se constrói assim, errando, acertando, aprendendo.
Toda relação tem erros e acertos.
Quando um relacionamento acaba , primeiro vem a pancada,
quando acaba a tontura da pancada do término, vem a revolta.
Você esperneia, se debate, fala mal, pragueja, deseja que ele (ou ela) morra (só de mentirinha), que seja eternamente infeliz (pura dor de cotovelo), que encontre pela frente alguém que a maltrate bastante; que fique gaga, tenha chulé, que perca os dentes da frente e fique careca.
No fundo, o desejo é tirá-lo do coração.
Fica procurando todos os mínimos motivos para odiar com todas as forças.

Você se afasta, apaga os contatos do celular, bloqueia o Orkut, o MSN e pára de sair de casa, com medo dos lugares que freqüentavam juntos.
Nada adianta. Você continua amando ele(a).
O que fazemos com o amor que fica, quando o relacionamento acaba?
O importante, no entanto, é o que não fazer!
Não deixe que esse amor se transforme em um câncer que vai te destruindo aos poucos.
Vc não tem culpa de ama-lo, e nem ele de amá-la.

Faça o que puder para não ver o amor maior do que ele realmente é.
Deixe que o amor tome seu rumo.
O importante, sempre, é constatar que só nós somos capazes de nos tirar de toda e qualquer situação. Da dor de se perder um amor e da insistência em continuar sofrendo
Você é sua própria tábua de salvação.
E no final o amor sempre vence!!

Namastê

Solidão e isolamento


Todos nos nos isolamos por algum motivo,
isso não significa que estamos sós.
Não há dúvida de que devemos criar momentos de isolamento,
pois eles são um sinal da nossa mais profunda identidade.
É bom ficarmos sozinhos de vez em quando para refletir em silêncio, para descobrir quem somos. Esse isolamento, no entanto, é apenas uma pausa para olharmos ao nosso redor, em busca do amor.

O isolamento não é solidão, mas um momento para estarmos conosco, em paz e harmonia.
É uma busca interior, um movimento voluntário, uma virtude a ser desenvolvida que nos ajudará a encontrar melhor os olhos e o coração dos outros.

O isolamento contraria a essência do ser humano, que é amar e ser amado.
A solidão é quando nos trancamos para o amor.
É a incapacidade de se comunicar, de estar com alguém.
Muitas pessoas, num ato de vaidade, podem até demonstrar orgulho por não depender de ninguém.
Mas, depois de algum tempo, vão se tornando amarguradas e desesperadas.

O ser humano, mesmo se isolando, mesmo sabotando todas as formas de amor, continua, no seu íntimo, querendo amar.

Existe um experimento em psicologia comportamental que exemplifica bem como o ser humano se limita ao amor, desculpa, lá vou eu falar dessas coisinhas chatas, mas eu gosto rsrs.

Um cientista coloca um ratinho numa gaiola.
No início, ele ficará passeando de um lado para o outro, movido pela curiosidade.
Quando sentir fome, irá em direção ao alimento.
Ao tocar no prato, no qual o pesquisador instalou um circuito elétrico, o ratinho levará um choque muito forte que, se não desistir de toca-lo, poderá até morrer.

Depois do choque, o ratinho correrá na direção oposta ao prato.
Se pudéssemos perguntar-lhe se tem fome, certamente responderia que não, porque a dor provocada pelo choque faz com que despreze o alimento.
Depois de algum tempo, porém, o ratinho entrará em contato com a dupla possibilidade da morte: a morte pelo choque ou pela fome.

Quando a fome se tornar insuportável, o ratinho vagarosamente, irá de novo em direção ao prato.
Nesse meio tempo, no entanto, o pesquisador desligou o circuito.
O prato não está mais eletrificado.
Porém, ao chegar quase a tocá-lo, o ratinho terá a sensação de que levou um segundo choque.

Haverá taquicardia, seus pêlos se eriçarão e ele correrá em direção oposta ao prato. Se lhe perguntássemos o que aconteceu, a resposta seria: "Levei outro choque".
Esqueceram de avisá-lo que a energia elétrica estava desligada!

A partir desse momento, o ratinho vai entrando numa tensão muito grande e seu objetivo agora é encontrar uma posição intermediária entre o ponto da fome e o do alimento que lhe dê uma certa tranquilidade.

Chama-se a isso de ponto de equilíbrio, porque representa uma posição entre fazer alguma coisa para se alimentar e ao mesmo tempo evitar um novo choque.

Qualquer estímulo que ocorrer por perto, como barulho, luminosidade ou algo que mude o ambiente, levará o ratinho a uma reação de fuga em direção ao lado oposto do prato.
É importante observar que ele nunca corre em direção a comida, que é do que ele realmente precisa para sobreviver.

Se o pesquisador empurrar o rato em direção ao prato, ele poderá morrer em consequência de uma parada cardíaca, motivada pelo excesso de adrenalina, pelo medo de que o choque se repita.

Eu me sinto como esse ratinho, e quantas pessoas também não se sentem assim,
Tomei um choque e agora tenho medo de toma-lo novamente,
e mesmo estando com "fome" mantenho distância do prato,
O pior é que continuo tomando choque sem ao mesmo tocar nele.

Cedo ou Tarde


Tudo na vida é natural
Eu sei que a vingança é o mal do amor
Que a incerteza só traz dor
E que não há lugar pro amor
A verdade
Cedo ou tarde vem
Nada sei pra te dizer
Da saudade que se foi ela voltou
Alcancei o que sonhei
Liberdade, sou a paz de mim
Pois tudo vem natural


(Cassiano e Marisa Monte)

Que maldição foi essa que me pegou?


O que dizer depois de tudo o que me aconteceu?
As vezes acho que não sei mais andar direito
Sempre estou com os mesmos calçados
Não me canso de ser sempre assim. Imutável.

Tenho verbos, pronomes e adjetivos que me controlam
Tenho força, um lápis, uma caneta e um bloco de notas
Falta mesmo a voz, a vontade e a coragem
Me falta voltar a encarar uma folha em branco

Não sei mais como escreveria para você
Não sei mais como escreveria para mim
Não sei mais como dominar as palavras que correm
Que vão tão longe, longe mesmo
Que vão comigo pela estrada, para o trabalho,
Malditas palavras que me perseguem no banho
No meio da maldita fumaça
No meio de dentro,
Dentro de mim...

O que sei agora, por falta de prática
É que preciso voltar, cair, sentir, palpitar
Sei mais agora que antes
E continuo fazendo os mesmo erros de sempre.

Tento e persisto
E sempre te vejo nessas malditas sombras
Nas malditas fumaças
Nas malditas palavras

Que maldição foi essa que me pegou?

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Existência da vida



Quando sentir vontade de chorar,

olhe para uma criança e veja que sorriso lindo ela tem.
.
Quando se sentir triste, olhe para trás,
e veja quantas coisas boas construiu.
Muitas vezes,
deixamos de olhar para as coisas mais simples da vida,
que nos dão prazer,
para nos apegar a coisas sem nenhum valor.
Quando se sentir só,
pense em Deus, e não estará mais só.
Quando alguém te magoar, não retribua,
apenas deseja que ele seja feliz.
Quando um mau pensamento surgir, ore,
e terá a bênção do céus.
Quando pensar em não mais existir, lembre-se,
que você não tem esse poder.
Quando pensar que tudo se acabou,
é porque não olhou a luz que veio lá de cima,
para te cobrir.
A existência faz parte da vida.
Se há vida, então existimos.
Se existimos, é porque há vida!

Serei uma eterna criança


Serei uma eterna criança...
Não pretendo deixar de sorrir,
não pretendo deixar de lembrar,
mesmo que responsabilidades apareçam
e que eu deixe de brincar.
Serei eterna criança.
Criança feliz, e que gosta de chorar.
Chorar na horas impróprias,
sorrir de todo mundo.
Chorar por estar feliz,
e por não ter motivos.

Aquela que se olha,e logo se vê.
Aquela que enxerga na verdade,
o que existe dentro de você.
Nem que isso machuque, este meu ser.
Serei sincera, impetuosa.
Serei do jeito que eu tiver de ser.
Serei eterna criança.
Que busca por sonhos e algodão doce.
Que busca a felicidade em qualquer lugar "que fosse".
Que pula os problemas,e corre de pessoas.
Que mesmo com medo da vida,vive intensamente.
Criança pura, ingénua e alegre.
Simplesmente criança.
Sem saber o que realmente a fere..
Que chora sem saber o porquê.

Por que assim, será bem mais fácil,de se viver.

domingo, 28 de dezembro de 2008

A felicidade é um estado de espírito


Eu era feliz e não sabia,
Mas estou tendo uma segunda chance,
Sei que isso é sorte pra poucos.
Por isso vou dar muito valor.
Venho tentando reconquistar meu amor proprio,
pois aprendi que não há nada que nos
faça mais falta que nossa própria solidão,
só ela é capaz de nos fazer descobrir do que somos capazes, sozinhos.

Quando estamos pessimistas, com espírito de vítima,
de arruinados, de injustiçados,

conseguimos mais provas de que é isso que somos,
na verdade nós construímos essa imagem de nós mesmos.

Por outro lado,
quando mesmo diante dos problemas do dia-a-dia,
vemos razão e divindade em nossa vida,
damos espaço para amar, para esperar mais da vida.
Conseguimos em contrapartida alegria de viver, sentido,
disposição e satisfação.

Por essas e outras, nossa vida é fruto do que
pensamos e fazemos dela.

Por isso defendo e acredito que devamos amar muito,
curtir muito, querer muito, respeitar muito, desejar muito,
sonhar muito e acreditar que podemos
colocar em prática uma vida cheia de felicidade e dignidade.

Felicidade pra mim é sabedoria, esperança,vontade de ir, vontade de ficar,
presente, passado, futuro.
Felicidade é confiança, fé e crença, trabalho e ação.
Não se pode ter pressa de ser feliz,
porque a felicidade vem devagarinho, como quem não quer nada.

Ser feliz não depende de dinheiro, não depende de saúde, nem de poder.
Felicidade é desprendimento, não é ambição.
Só é feliz quem sabe suportar, perder, sofrer e perdoar.

Só é feliz quem sabe, sobretudo, amar!


Obs: Nessa foto tava maquiada de boneca, então cortei só os olhos, porisso ta esses 3 risquinhos nos olhos ai, comentando só pra ninguém achar estranho rsrs

sábado, 27 de dezembro de 2008

O bem e o mal


"(...) Quando querem transformar;
Dignidade em doença

Quando querem transformar
Inteligência em traição;

Quando querem transformar
Estupidez em recompensa;

Quando querem transformar
Esperança em maldição;

É o bem contra o mal
E você de que lado está?
Estou do lado do bem
E você de que lado está?(...)"

(Renato Russo)

Eu e você


Eu e você frente a frente,
É o medo e o desejo;
É desconfiança e a esperança;
É o grito e o silencio;
É o gelo derretendo a mão no fogo...
Eu e você frente a frente
É ter sempre q me confrontar;
Encarar meus erros e as minhas razões...
As minhas verdades e as minhas ilusões;
Meu poder e a minha impotência;
A minha liberdade e os meus limites...
Quando eu to na sua frente,
Eu sinto toda a minha dor,
Mas só na sua frente eu posso sentir todo o meu amor

A esperança


Não desanime de você,
ainda que a colheita de hoje não seja muito feliz.
Não coloque um ponto final nas suas esperanças.
Ainda há muito o que fazer,
Ainda há muito o que plantar,
E o que amar nessa vida.
Ao invés de ficar parada(o) no que você fez de errado,
Olhe para frente,
E veja o que ainda pode ser feito...
A vida ainda não terminou.
E já dizia o poeta "que os sonhos não envelhecem"
Vai em frente.
Sorriso no rosto e firmeza nas decisões.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

De olhos bem fechados


Meus olhos estão bem fechados,
mais minha alma e meu corpo não.
Minha mente e meu coração se encontram abertos,
em busca de fortes emoções,
a procura de um lugar só meu.
Os olhos,
apesar de tristes,
permaneceram fechados,
para não derramar a lágrima contida em minha alma.....

Queria ter te conhecido antes...




Queria ter te conhecido antes,
muito antes...
Para que nenhum de nós dois tivesse medos ou cicatrizes.
Queria ter estado contigo,
quando teu coração descobriu o que era amor.
Quando teu corpo descobriu,
o que era desejo.
E antes que pudesses sofrer,
eu estaria do teu lado, te amando, me entregando,
e juntos poderiamos ter aprendido,
as lições da vida e do coração.
Queria ter te conhecido muito antes,
Quando tuas esperanças começaram a nascer,
quando teus sonhos ainda eram puros,
e teus ideais ainda ingénuos.
Pena termos nos encontrado tarde,
já com o coração viciado em outros amores,
com uma imagem meio falsa, do que é felicidade,
do que é entregar-se.
Queria ter te encontrado antes,
muito antes,
Numa nova vida, num outro tempo,
em que não precisássemos temer o nosso futuro,
nem nossos sentimentos!

As palavras iludem, mas as atitudes provam quem é capaz


Para aqueles que me fizeram chorar,
Para aqueles que me invejaram,
Para aqueles que me substimaram,
Para aqueles que me magoaram,
Para aqueles que me enganaram
,
Para aqueles que não acreditaram em mim,
Para aqueles que não souberam me dar valor,

Eu ofєrєço αpєnαs umα coisα: A MINHA FELICIDADE !!!

Já me decepcionei e fui surpreendida.
E sei que nesse meu longo caminho ainda vou encontrar alguns que irão me decepcionar e surpreender.
Ainda erro muito, e nem sempre aprendo com meus erros.

Penso na maioria das vezes nas conseqüências dos meus atos,
mas quando não penso, também não me arrependo.

Arrependimento não faz parte do meu vocabulario e sim aprendizado,
acredito que de tudo podemos tirar uma lição.

Parei de tentar agradar todo mundo,
Agora, só me importo em agradar aquilo que a minha consciência manda.
O q passou calou e o que virá, dirá....

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

EM BUSCA DE UM NOVO HORIZONTE


Parto para outras distantes regiões,
Atraindo-me
Ativando a minha sina!

Comigo, levo saudade
Em consonância com minha partida...
Emaranhada, optei por essa vida,
Para o início de nova lida!

Sei...
A chuva lá se esperneia...
E desafiando a natureza até se deleita,
Num desabafo sem fim!

E sigo em frente, pois é meu destino!
A escolha não foi desatino,
Mas o espairecer por novo confim!

Porque são tristes as noites de natal

O Natal deveria ser um momento reflexivo de nossa própria mesquinhez.
É a noite da ausência doida de pessoas que já se foram e não fazem mais parte de nossas vidas, ao menos neste plano espiritual.
Também sentimos a falta de pessoas queridas que,
por motivos diversos, não estão conosco.
É óbvio que valorizo e tenho carinho por aqueles que me cercam na noite natalina, mas percebo nas faces, um que de tristeza regada aos excessos que esta pseudo-festa nos traz.

Observo a mesa posta e lembro-me de tantos que não tem o que comer.
E penso nisso verdadeiramente, despojado de qualquer sentimento de dó que isso possa ter.
Para os que vivem na rua, a noite de Natal deve ser ainda mais fria, densa, profunda.
Eles devem se questionar os motivos de uma comemoração tola, que nada resolve.
Como somos pequenos diante do espelho de nossa própria alma.

O nascer de Cristo, que muito já se fala não ter sido em dezembro, fica em segundo plano.
A Missa do Galo transmitida pela televisão é assistida em meio a vozes, muitas vezes já embriagadas, que pouco, quase nada, lembram-se das lições e da missão que Ele veio cumprir.
Será mesmo uma festa?
Que me perdoem aqueles que admiram e comemoram o Natal.
Mas a noite natalina é a mais triste do ano.
Uma mistura de reflexão com álcool e comida farta para a fuga que planejamos de nossa própria vil e insana existência.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008


Tantas vezes pensei em te escrever uma carta e tantas vezes desisti.
Cartas escritas, daquelas antigas que transportam sonhos e sentimentos dentro de um envelope fechado, com um selo estampado,
que chegam ao destinatário dobradas e cheias de marcas de tanto andar na bolsa do carteiro.

Pensei em escrever uma carta que trouxesse nela a essência do meu eu - para que me conhecesses.
Tantas vezes comeci e tantas vezes amassei o papel e joguei fora.

Parece que a caneta já não consegue transpor para o papel os sentimentos da mesma forma que antes o fazia - é o progresso, agora escrevo no computador os sonhos e desejos,
descarrego as raivas e as frustrações e, a um canto, deixo o meu papel e a minha caneta, esperando por um dia em que inspirada neles pegue e para eles passe a minha vida e o meu sentir.

Mas porque te escrever agora e aqui?
Talvez porque sei que nunca irás ler a minha carta, nunca a poderás rasgar, aqui ficará para sempre, como testemunho do que sinto e do que choro, da saudade e da tristeza,
aqui onde nem vc nem ninguém a poderá destruir.

Escrevo-te aqui, onde alguns anónimos e outros conhecidos - todos ainda sem face mas todos queridos, passam,
e podem ler o que te escrevo e saber de mim, mais do que vc alguma vez quiseste saber.

Tanto te queria dizer, assim frente a frente,
olhando nos teus olhos e tentando decifrar o que vai na tua alma, alma perturbada eu sei, porque só uma alma só,
insegura e perturbada tem uma capacidade infinita - como tu tens - de magoar repetida e deliberadamente alguém que afinal nunca te fez mal algum.

Não é possível, tens uma forma de ser que só vc mesmo entende.
Por vezes meigo, carinhoso, todo meu - e logo a seguir distante, frio, só, fugitivo, desaparecido.

Um dia disseste, pediste, com aquela voz baixa e pausada,
em tom carinhoso e melancólico "confia em mim, vai, por favor...confia", olhando-me com uns olhos castanhos meigos e só meus...e eu confiei.
Não me arrependi, isso nunca.

O que vivi foi bom demais, o que sinto até hoje, é forte demais para querer arrependimentos. Mas as recordações poderiam ser tão mais bonitas e reconfortantes,as memórias tão mais quentes e alegres,
o sentimento que restou tão mais valeria a pena.

Por isso, por favor, nunca mais digas a alguém: "Confia..."
se depois vais destruir toda a confiança e vais magoar tanto e tão profundamente quem pediste que confiasse em ti.
Arranja outra forma de conseguir o que queres, mas não peças para confiar em vc.
A confiança é algo tão frágil quanto precioso, é algo tão profundo quanto difícil de dar, é algo que quando acaba, nunca mas nunca mais volta (Não do mesmo jeito), fazendo com que a vida e o sentimento mudem, fiquem mais tristes e mais desiludidos, mais desesperançados...

E não joques com os sentimentos como se joga aos domingos futebol com os amigos - intensamente, inconsequentemente, sem olhar para o lado, sem te importares com o resto, displicentemente.
Não acabes com a confiança, com o respeito, com a vontade de quem ama a ti. Não roubes a alma e o coração para depois os deixares ali,abandonados e jogados no meio da rua.

Se continuares assim, um dia vais encontrar-te sozinho, sem amor, sem ternura, sem sentimento, de alma vazia e coração esquecido - e quando quiseres voltar atrás, vai ser muito tarde.
Tarde demais para viver, para amar, para gostar, para te entregares, para servc mesmo, de alma completa e solta.

Vai ser triste um dia te encontrar, te olhar nos olhos e ver tristeza e arrependimento, mas sei que se continuares brincando com os sentimentos de quem te quer,isso vai acontecer um dia.

E eu vou chorar pelo que não fomos,
pelo que não sonhamos,
pelo que não vivemos,
porque tu,
fugiste de ti mesmo.

Por te amar estou sofrendo.


O que existe entre nós vai além do que eu possa entender,
além do que podia imaginar.
Queria te fazer feliz, não sei porque deu tudo errado.
Tento te esquecer, mas sou infeliz.
Cansei de conviver com a dor.
Nunca amei ninguém assim.
Mas vc trocou meu amor, e o que eu sinto agora é a dor de vê-lo partindo outra vez.
Hoje a lua está triste, as estrelas não tem o mesmo brilho, o vento é mais frio e o céu não tem a mesma cor.
E agora o que é que eu faço sem teu carinho, teu amor, sem teu abraço como é que eu vou viver.
Sei que você me disse, eu entendendo mas o meu coração insiste em te querer.
Porque tem de ser assim, tenho de amargar um triste fim,
Sofro mais vou vivendo.
Essa dor me remoendo
Por te amar estou sofrendo.

Sofrimento de amor


"E assim sofro eu:
Porque não posso dar sofrimento
A quem sempre sofrimento me deu.

O amor, um sentimento tão puro mais ao mesmo tempo tão confuso.
Aquele amor tão forte, aqueles momentos onde parece que são unicos na vida,
que você pensa que nunca vai acabar ,
vem uma tempestade e sopra sobre você ,
e faz cair uma lágrima dos seus olhos .
todo amor que a pessoa dizia sentir? Aonde foi parar ?
Será que algum dia existiu realmente?
Não podemos afirmar ,
mais podemos dizer que o amor faz sofrer demais,
faz doer até no fundo da sua alma.
É lamentável , mais a vida é assim , o amor é assim, por que?
Nunca poderemos saber por que algo tão mágico pode
fazer um estrago tão grande em nossos corações."

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Vidas opostas



É uma pena que diante das circunstâncias da vida,
eu nada possa fazer para reverter o quadro de uma situação delicada e frágil em que estamos.
Na vida tudo pode acontecer, e
um simples positivo ou negativo,
sim ou não,
não pode ser tão dolorido quanto a felicidade,
a tristeza ou a certeza de que temos vidas diferentes e opostas para prosseguir,
optar ou decidir somente pelas coisas que desejamos e queremos,
sem termos que lutar ou sofrer muito para obtê-las ou conquistá-las.
Infelizmente o momento não deixa esperança ou opções de escolha.
Se eu pudesse optar ou escolher pelo que procuro e desejo,
não iria olhar para você,
com vontade e desejo de lhe descobrir aos poucos para poder lhe proporcionar alegria,amor,prazer e uma felicidade que jamais sonhou ou imaginou que fosse encontrar em alguma mulher.

Eu errei, porque sei que não tenho direito de intervir ou invadir seus pensamentos sem sua prévia autorização.

Entendendo isso,
eu me limito em aceitar que você não nasceu para me proporcionar alegrias, amor ou felicidade.
Por essas razões, eu não posso querer ou desejar o que não está ao meu alcance,
Você não está comigo e nunca vai estar pelo simples fato das nossas vidas,nosso mundo e caminhos serem opostos.

É uma pena não poder dar a você o que de melhor tenho guardado dentro do meu interior.


Prove um pouco do seu próprio veneno


Eu tomei do veneno que você preparou pra mim,
foi horrivel,
Passei pelos piores momentos da minha vida.
Sabia que ia morrer ali,
E vc me olhava de longe sem nehuma misericordia.
Mas eu não tomei todo o veneno,
No fundo do vidro ainda ficou algumas gotas dele.
E eu ofereci pra vc,
Você bebeu sem perguntar o que era,
Você provou do seu próprio veneno.
Agora você sabe muito bem qual é a sensação de ser envenenado por quem amamos tanto.
É a pior dor que se pode sentir.
Mas diferente de vc, eu te dei apenas algumas gotas,
E elas não vão ser suficientes pra te matar,
Dentro de alguns dias ,ou horas, você estará comemorando sua sobrevivência.
Eu não, você não foi tão gentil comigo,
Me deu varios goles,
Suficientes pra matar até mesmo a mais forte das mulheres.

Eu estou consciente e tenho o poder de pensar como eu quero.
Tenho o direito de pensar no que eu quero para o meu próprio bem.
Eu tenho e posso impor ao meu mundo interior tudo aquilo que eu quiser.
E quero me sintonizar com o melhor.
Esqueço, a partir de agora, a pessoa que eu fui, sobretudo meus vícios de pensamentos.
Penso apenas na paz.
Penso nela, permitindo que seu perfume toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os cantos do meu corpo.
Penso na paz com uma mensagem de ordem e equilíbrio perfeito.

Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso'.
Eu posso estar na paz.
Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal com responsabilidade divina, obtida por herança natural.
O melhor para mim é um grande sorriso no peito.
É a felicidade barata e fácil a que tenho direito.
É tão simples pensar que o melhor está em mim! A beleza está em mim.
A suavidade está em mim.
A ternura, o calor, a lucidez e o esplendor das mais belas formas do universo estão em mim.
Aí eu me abro inteira, viro do avesso e sinto que não há fronteiras nem barreiras para mim.
Sinto que o limite é apenas uma impressão.
Sinto que cada condição foi apenas a insistência de uma posição.
Sinto que sou livre para deixar trocar qualquer posição por outra melhor.
Sou livre para descartar qualquer pensamento ruim, qualquer sentimento ou hábito negativo, qualquer paixão dolorosa.
Porque eu sou espírito.
Sou luz da vida em forma de pessoa.

Ah, universo, eu estou aberta para o melhor para mim.
Eu sei que muitas vezes sou levada por uma série de pensamentos ruins.
Mas é porque eu não conhecia a lei do melhor.
Agora eu me entrego, me comprometo comigo, com o universo e contigo.
Vou manter a minha mente aberta.
Esse momento me desperta, me traz a inspiração ao longo do dia onde se efetiva a luz que irradia para quem insiste no próprio aperfeiçoamento.

Não quero pensar nas minhas fraquezas.
Quero olhar bem fundo nos meus olhos e ver como o meu peito está cheio de vontade.
Eu assumo a responsabilidade sobre essas vontades e me projeto com força nessa identidade de saber que eu posso, sim, fazer o melhor.
Despertar o meu espírito é viver nele.
É ter a satisfação de ser eu mesma.
É poder ser original, única, pequena e grande ao mesmo tempo.
Sei agora que o melhor está a meu favor.
Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manifesta em mim como pessoa em transformação.
Eu sinto como se tivesse sentada nessa cadeira da solidez universal porque eu estou no meu melhor.
Porque estou há milhares de anos seguindo e não fui destruída.

Falsidade x Mentira

Falsidade um dos piores lados do ser humano.
Aquela pessoa que se chega com carinha de anjo,
Mas por trás se esconde um monstro,
Capaz de jogar o mundo contra o mundo.
Aquela pessoa que finge ser aquilo que nunca foi.

Mentira a arma dos incompetentes.
Muito usada pelos falsos, pelos hipócritas.
A mentira gera muito mal entre as pessoas,
Uma mentira pequena aqui,
Gera mais adiante um mal maior.

Falsidade e mentira juntos é um mal irreversível,
Uma doença crônica e degenerativa da pessoa que a possui,
Contagiando a quem está a sua volta.

Falsidade e mentira são as armas dos covardes,
Dos fracos de personalidade,
Daqueles que acham que mentindo e inventando
Podem chegar a algum lugar,
Obter algum sucesso

Só que esquecem que a mentira tem perna curta,
E a falsidade é facilmente percebida
Por quem tem Coração e Alma.

No amor não pode existir falsidade,
Temos que usar de sinceridade...
A mentira sempre faz tudo terminar,
inclusive a vontade de amar.
Quando existe a traição,
algo machuca o coração,
acaba matando o amor,
E como causa dor.
O amor exige, simplesmente,
lealdade, carinho, somente...
Não podemos esquecer,
e sempre tratar de manter
o que vem a ser o real caminho
para a felicidade.
É sempre tratar o amor com carinho,
e muita sinceridade.
Amor não combina com mentira e falsidade


Mas quem tem no coração o amor saberá
perdoar e dar como retribuição
Amor, carinho, e acima de tudo respeito
Tentando assim ensiná-lo a viver.

Transformando-o num ser humano com alma.

Você está com ou contra a pessoa amada?



Eu sei...
parece bem estranho supor que alguém possa estar “contra” a pessoa que ama.
Estou absolutamente certa de que este tipo de tratamento vai tornando a relação ressequida,
cheia de mágoas e ressentimentos.
E um belo dia, quando um dos dois “acorda”, percebe que já se passaram anos e anos sem que tenha encontrado a felicidade no casamento, namoro ou noivado.
E aí fica aquela sensação de vazio, de tempo “jogado fora”, de desperdício de possibilidades.

De forma alguma quero dizer que a solução para este tipo de problema seja a separação.
Antes de mais nada, penso que uma relação norteada por dores engolidas e colocações que parecem farpas esfregadas na alma está, sobretudo, demonstrando o quanto cada um deve olhar para si mesmo e se perguntar o que é que está acontecendo.
Problemas todo casal tem.
Isso já sabemos.
Agora, transformar o cotidiano numa briga de foices,
numa disputa de facas,
numa angústia sem-fim me parece que já é absoluta falta de cuidado,
percepção e sensibilidade.
As relações amorosas pedem devoção, compreensão e carinho para que possam servir como caminho para evolução. E quando as desavenças acontecem, é preciso que um e outro saibam ceder, calar-se, ouvir sem agredir, relevar o “dia ruim” do parceiro...

E tudo isso me faz lembrar de um trecho da música “Não vá ainda”, da Zélia Duncan:
“... Me diga como você pode
Viver indo embora
Sem se despedaçar
Por favor me diga agora
Ou será, que você nem quer perceber?
Talvez você seja feliz sem saber”...

Estou vivendo esse “indo embora”.
Ir embora não significa apenas fazer as malas e partir.
Responder grosseiramente, agredir verbalmente, viver com as flechas apontadas para o parceiro, à espera de um motivo – por mais tolo que seja – para dispará-las, é ir embora da relação, é abandonar o outro, é virar as costas,
E mais triste do que ir embora deixando a sensação de que você nunca se despedaça (porque é só uma sensação, a gente sempre se despedaça quando vai embora), é chegar à conclusão de que você é feliz sem saber, de que você viveu anos e anos ao lado de alguém tendo todos os motivos e todas as chances para ser feliz, e simplesmente não sabia.

Casais com filhos lindos, com condições financeiras razoáveis, com saúde e possibilidades de construir muitas coisas juntos...
casais felizes sem saber...
que se deixam morrer ao longo do caminho, ao longo dos dias, presos a picuinhas,
a coisinhas tão pequenas e tão vis que jamais justificariam mais uma partida, mais um abandono...

No início pode ser bem difícil ficar, não ir embora, não ser grosseiro, especialmente quando a sua relação já está condicionada ao despedaçamento constante.
Entretanto, estou certa de que você pode ao menos tentar, dar o primeiro passo.
Comece a focar o lado positivo deste encontro de amor e exercite a sua capacidade de permanecer, de acolher, de ceder...
Veja quanto você pode esperar, antes de colocar uma possibilidade de felicidade a perder...
E para terminar este apelo à doçura no lugar da grosseria, para concluir este pedido de inclusão do ‘com’ no lugar do ‘contra’, deixo mais um trecho desta linda música, pra você refletir e se dar conta de que esta ‘voz’ pode parecer a sua, mas também pode ser a do outro...
“...Onde você vai?
Não é tão simples assim
Porque às vezes meu coração não responde
Só se esconde e dói”...

Diz a voz da sabedoria

Você foi...


Você foi meu amigo
Que segurou minha mão
Na hora que mais precisei

Você foi meu confidente

Dos meus segredos

Mais profundos
Você foi minha voz

Quando não podia

Gritar para o mundo

Você foi minha alma

Que me dava vida e coragem

De acordar todas as manhãs
Você foi minha paixão

Que me afogava

Nos teus braços e beijos
Você foi meu amor

Meu eterno
Você foi tudo pra mim

E deixou tanta saudade

E hoje não tenho nada

Não tenho você
Não tenho a mim...
Um dia você se ergue e esquece tudo que foi dito.
Um dia você acorda do sonho que pensou ser seu
e na verdade nunca foi.
Ilusão mata o amor e constrói dúvidas.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Disfarce


Tento disfarçar a minha dor com uma face,
ninguém enxerga,
só eu vejo o sentimento
que sufoca meu coração,
entristece minha alma
e perturba minha mente.
Por dentro eu grito e choro como
uma criança sendo torturada,
mas por fora sou uma simples pessoa
tentando disfarçar a realidade que vivo,
e disfarço tão bem que poucos percebem.

Ando pelas ruas como se fosse cega,
fugindo da verdade que me persegue,
da tristeza que me consome,
do ar que me polui,
com medo da vida,
tento seguir o caminho das estrelas
para achar alguma razão,
para voltar a viver...

Pego o meu barquinho,
saiu a navegar,
a procura de um tesouro,
eu tenho que encontrar.
Vou navegando pelo mar dessa vida,
enfrentando tempestades mil.
As onda querendo me afogar,
o vento querendo me levar.
Mas eu não temo o perigo,
Porque Jesus está comigo,
sempre ao meu lado,
Se naum o meu barquinho já teria afundado.

A música que vinha da casa



Como sempre fazia na véspera de Natal, o rei convidou o primeiro ministro para um passeio. Gostava de ver como enfeitavam as ruas – mas para evitar que os súditos exagerassem nos gastos com o objetivo de agradá-lo, os dois sempre se disfarçavam com roupas de comerciantes que vinham de terras distantes.

Caminharam pelo centro, admirando as guirlandas de luz, os pinheiros, as velas acesas nos degraus das casas, as barracas que vendiam presentes, os homens, mulheres e crianças que saiam apressados para juntar-se a seus parentes e celebrarem aquela noite em torno de uma mesa farta.

No caminho de volta, passaram pelo bairro mais pobre; ali o ambiente era completamente distinto. Nada de luzes, velas, ou o cheiro gostoso de comida pronta para ser servida. Não se via quase ninguém na rua, e como fazia todos os anos, o rei comentou com o ministro que precisava prestar mais atenção aos pobres do seu reino. O ministro acenou positivamente com a cabeça, sabendo que em breve o assunto estaria de novo esquecido, enterrado na burocracia cotidiana, aprovação de orçamentos, discussões com emissários estrangeiros.

De repente, notaram que de uma das casas mais pobres vinha o som de uma música. O barraco mal construído, com várias frestas entre as madeiras apodrecidas, permitia que vissem o que se passava lá dentro, e era uma cena completamente absurda: um velho em uma cadeira de rodas que parecia chorar, uma jovem completamente careca que dançava, e um rapaz de olhar triste que tocava um tamborim e cantava uma canção do folclore popular.

- Vou ver o que está acontecendo – disse o rei.

Bateu à porta. O jovem interrompeu a música e veio atender.

- Somos mercadores em busca de um lugar para dormir. Escutamos a música, vimos que ainda estão acordados, e gostaria de saber se podemos passar a noite aqui.

- Os senhores encontrarão abrigo em algum hotel da cidade. Infelizmente não podemos ajudá-los; apesar da música, esta casa está cheia de tristeza e sofrimento.

- E podemos saber por que?

- Por minha causa – era o velho na cadeira de rodas que falava. – Durante toda a minha vida, procurei educar meu filho para que aprendesse caligrafia, de modo a ser um dos escribas do palácio. Entretanto, os anos se passavam e as novas inscrições para o cargo jamais foram abertas. Até que esta noite tive um sonho estúpido: um anjo aparecia e me pedia para que comprasse uma taça de prata, já que o rei iria me visitar, beber um pouco, e conseguir emprego para o meu filho.

“A presença do anjo era tão convincente que resolvi seguir o que dizia. Como não temos dinheiro, minha nora foi hoje de manhã até o mercado, vendeu seus cabelos, e compramos esta taça que está ai na frente. Agora eles tentam me alegrar, cantando e dançando porque é Natal, mas é inútil”.

O rei viu a taça de prata, pediu que servissem um pouco de água porque estava com sede, e antes de partir, comentou com a família:

- Que coincidência! Hoje mesmo estivemos com o primeiro ministro, e ele nos disse que as inscrições seriam abertas na semana que vem.

O velho acenou com a cabeça, sem acreditar muito no que ouvia, e despediu-se dos estrangeiros. Mas no dia seguinte, uma proclamação real foi lida por todas as ruas da cidade; procuravam um novo escriba para a corte. Na data marcada, o salão de audiências estava cheio de gente, ansiosa para competir por tão cobiçado cargo. O primeiro ministro entrou, pediu que todos preparassem seus blocos e canetas:

- Eis o tema da dissertação: por que um velho homem chora, uma mulher careca dança, e um rapaz triste canta?

Um murmúrio de espanto percorreu toda a sala: ninguém sabia contar uma história como essa! Exceto um jovem com roupas humildes, em um dos cantos da sala, que abriu um largo sorriso e começou a escrever.

(baseado em um conto indiano, escrito por Paulo Coelho, e enviado pro meu email, somos amigos intimos rsrs)

sábado, 20 de dezembro de 2008

Você me jogou no lixo


Sabe que impressão eu tenho?
Que você pegou todas os nossos dias juntos
e amassou como se fossem bilhetinhos em guardanapos.

Parece que você simplesmente virou as costas e foi embora, me tratando como lixo.
Jogou fora todo nosso amor, sem dó.
Colocou tudo num saco preto e deixou o caminhão de lixo levar.
Todos os nossos dias, todos os nossos almoços, todos os nossos cochilos, todas as nossas pizzas, todos os nossos filmes, todas as nossas músicas, todas as nossas coisas.

Isso é falta de consideração, sabia?
Pegar as nossas coisas e jogar fora, sem ao menos perguntar se eu estou de acordo.
NÃO. Eu não estava de acordo.
Não estou de acordo e não quero conviver com o fato de que todos esses dias foram em vão.
Todos esses dias que eu acordei por você e vivi por você foram em vão?
Isso é injusto.
Você jogou fora o "nosso número" do celular,
que sempre significou tanto pra mim.
Você ficou com outra sem ao menos se lembra que eu existia.
E fala que tudo que fez foi para que te odiasse.
Você mentiu tanto, que agora tenho dúvidas se as outras coisas
que me falou eram verdadeiras.
Sabe qual o nome disso? Covardia.

Ou você pensa que eu estava preparada para acordar no dia seguinte e não te ligar, não te ver? Ou você pensa que da última vez que te vi aproveitei tudo como se fosse a última?
Ou você pensa que eu sabia que aquele selinho torto de bom dia que eu te dei foi o último?

Que raiva.
Não tenho raiva do que foi ruim, mas tenho raiva do que foi bom.
Porque são as coisas boas que não me deixam dormir de saudade.
Se você não me tratasse tão bem, se não usasse um perfume tão bom,
se não passasse dias tão especiais ao meu lado, se não me amasse tanto...
Ah, se não me amasse tanto, eu não sofreria desse jeito...

Desse jeito, com a impressão de ter sido tratada como lixo...


Coisas inexplicáveis acontecem de maneiras inexplicáveis.
É engraçado quando nos mostramos por meio das palavras que escrevemos. Muitas vezes queremos camuflar algo que acaba se tornando ainda mais latente, não só na gente, mas em todos.

Vidinha perdida e passada,
necessidade de mudanças,
coisas que descobrimos por essas andanças nem longe nem perto,
só o necessário para sabermos um pouco mais de nós mesmos.
Conhecer o que se passa com o nosso dia-a-dia para não cair na rotina das histórias mal contadas ou até atravessadas pelas esquinas dos lugares onde costumeiramente gostamos de ficar pensando na vida,
não só na nossa, mas na de todos os que próximo à gente estão.

Sejamos interessantes e felizes sempre que necessário,
não nos deixemos abater por nada que não esteja em nosso controle, mas a história é mais complexa e menos intuitiva do que se parece.

Quero começar tudo de novo e tentar entender o que se passa pelas crônicas diárias de nossas vidas,
sem deixar que o ALL Star domine os domingos dos meus amigos ou que os corações se partam como uma maçã do amor ao cair no chão encontrando um bloco de concreto pisado.

Sejamos francos quando analisamos nossas fraquezas e então descobriremos do que somos feitos.
Sem dúvida o principal ingrediente é a tentativa de acertar.
Não importa o que, mas sempre acertar.
O medo de errar nos faz perder as palavras, esconder sentimentos e até mesmo sufocar vontades, pois se não temos certeza por que tentar conseguir algo que não esta próximo nem mesmo para matar nossa curiosidade?

Por que queremos sempre algo que não esta em nosso alcance?
Será que é só para podermos ter pelo que lutar?
Eu quero entender mais a existência, mas de uma forma menos complexa e menos densa.
Sejamos cada um de nós mais corajosos, pois com os erros aprendemos mais do que com os acertos,
então errar é aprender para acertarmos,
e deixarmos de errar é deixarmos de aprender.


Antes de ser mãe


Antes de ser mãe, eu fazia e comia refeições quentes.
Eu usava roupas sem manchas.
Eu tinha calmas conversas ao telefone.
Antes de ser mãe,
Eu dormia tão tarde quanto eu quisesse e nunca me preocupava com que horas iria para a cama.

Eu escovava meus cabelos e tomava banho sem pressa.
Antes de ser mãe,

Minha casa estava limpa todos os dias.

Eu nunca tropeçava em brinquedos, ou pensava em canções de ninar.
Antes de ser mãe,

Eu não me preocupava se minhas plantas eram venenosas.
Eu nem sabia que existiam protetores de tomada...

Antes de ser mãe,

Ninguém nunca tinha vomitado ou cuspido em mim.
Eu nunca tinha sido mordida nem beliscada por dedos minúsculos

Ninguém nunca tinha me molhado.
Antes de ser mãe,
Eu tinha controle da minha mente, dos meus pensamentos, do meu corpo, e do meu tempo.

Eu dormia a noite toda!!

Antes de ser mãe,

Eu nunca tinha segurado uma criança chorando para que pudessem fazer exames ou aplicar vacinas. Eu nunca havia experimentado a maravilhosa sensação de amamentar e saciar um bebe faminto.
Eu nunca tinha olhado em olhos marejados e chorado.

Eu nunca tinha ficado tão gloriosamente feliz por causa de um simples sorriso. Eu nunca tinha sentado tarde da noite só para admirar um bebê dormindo.
Eu nunca tinha segurado um bebê dormindo só porque eu não queria deixá-lo.
Eu nunca havia sentido meu coração se quebrar em um milhão de pedaços porque eu não pude parar uma dor.
Eu nunca imaginaria que algo tão pequeno pudesse afetar tanto minha vida.
Eu nunca soube que eu amaria ser mãe.

Antes de ser mãe,

Eu não conhecia a sensação de ter meu coração fora de meu corpo.
Eu não conhecia a força do amor entre uma mãe e seu filho.
Antes de ser mãe,
Eu não conhecia o calor,
A alegria,

O amor,

A preocupação,
A plenitude,

Ou a satisfação de ser mãe.
Eu não sabia que era capaz de sentir tudo isso com tanta intensidade...

No silêncio das minhas palavras


Fui traída, no meu íntimo…
tal como a minha própria traição, que assumo,
por que razão não assumirás também?
Covardia!??
Medo???
Que terás tu a perder??
Pensas que não vejo a tua insegurança???
Que não sinto a falsidade das tuas palavras??
Acha que consegue esconder a tua verdadeira identidade?
Acha que não vejo já o erro que cometi?
Só não sei como o remediar…
Não percebo por que motivo insiste em tapar a verdade, quando eu leio tantas mentiras dissimuladas no teu olhar…
Porque é que achas que eu sou assim tão “babaca”?
Acha mesmo, ou queres que te dê uma lição que te permita conhecer-me verdadeiramente?

Só me deste uma prova: UM MOTIVO
Neste caso, para desconfiar de ti,
O CRIME – já sabes qual é…
não preciso de especificar
A minha sabedoria manifesta-se muito mais no silêncio das minhas palavras!
A cada dia que passa surgem mais mentiras, e essa última pra mim foi a "gota d'água" que faltava pra que meu oceano transbordasse.

Lamento que tenha acreditado em tantas mentiras.
Que tanto tempo juntos,
Não te tenha feito repensar as tuas atitudes.
Que tenhas mentido tanto,
Pois a mentira maior era vc.
Por eu ter acreditado que o nosso amor era verdadeiro
E por me ter entregue de corpo e alma

Por permitir que entrasses na minha vida
E que te tornasse parte de mim.

Por ter achado que as tuas atitudes eram verdadeiras
E hoje duvido de tudo que ouvi e vivi
E estar ferida por ter confiado em Ti

Que Deus ilumine o teu caminho
E que sejas muito feliz.

Se um dia te lembrares de mim e de tudo que passamos
Lembra–te que fui inteira e verdadeira.

Sei que quando esta tempestade passar
O sol brilhará e olharei para trás de cabeça erguida. E não permitirei mais mentiras na minha vida!

LAMENTO, por TI.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Você decidiu ir, a vontade de partir foi maior que a de ficar,
então vai… simplesmente vai…

Comigo deixa todos os sorrisos,
toda a alegria,
toda a paixão que partilhámos.
Contigo leva o melhor de mim
leva a certeza de que te quis muito,

Deixemos a mágoa que acabaria por chegar, a raiva, a discórdia, o desespero, o rancor.
Não digas nada, só me da teu melhor sorriso, deixa-me um beijo sincero e parte,
É assim que te quero recordar para sempre,
só quero lembrar-me de tudo o que foi muito bom,
quero ter a certeza de que te fiz muito bem,
como fizeste também a mim.

O sol deixou de brilhar mais intensamente junto de mim, os dias se tornaram mais monótonos e cansativos na minha companhia,
então o caminho chegou ao fim,
Nossos melhores, maiores e mais sinceros sorrisos, não estão mais comigo, nem em mim, nem em nós,
O que nos resta é deixarmos as vidas seguirem o rumo que pretendem,
as almas fugirem para onde sentem verdadeiramente bem.

Não quero perder-te nunca e não tenho a presunção de te ter,
quero que voltes sempre e só porque te deu vontade,
a cada dia que te vejo chegar com aquele sorriso fantástico, sei que nos pertencemos,
sem que sejamos de ninguém, essa é a melhor forma de comunhão é como gosto de te ter e de ser,
não sendo de ninguém…

Enquanto estávamos juntos partilhávamos a vida que chegava a ser uma para dois,
partilhamos corpos que nunca distinguimos como sendo de um ou de outro,
Enquanto o ato de nos amarmos for mais forte que tudo o que nos seja exterior,
que toda a vida que corre lá fora,
que todos os outros, terei esperanças.

Quero me esgotar contigo, quero ser parte de ti,
Quero que continues a me fazer feliz…

inesquecível


É inesquecível para mim Esse teu sorriso tão bonito.
Tua voz tão doce aos meus ouvidos
Eu desejo ter por toda vida

Quando estou contigo eu sou tão feliz,

Todo esse carinho me faz bem,

Vou agradecer eternamente a Deus
Por ter me dado você...
Quero te ter sempre comigo,

Compartilhar os meus segredos.
Posso tentar o impossível,

Só pra mostrar o que eu sinto.

Quando uma lágrima rolar,

No meu rosto por você

Não é tristeza nem dor

É só meu coração gritando
Te amo!

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008


Você tem o dom de magoar meu coração.
Me dediquei a ti de corpo e alma,
por ti me deixei levar,
não queria em mim pensar,
Mas vejo meu mundo se desmorenar,
minhas forças querem acabar,
e vc parece nem ligar.
Eu achava que me amavas,
pelo menos era o que eu pensava,
mas vejo que vc só me enganavas,
e eu nem imaginava.
Mas não tem problema, não vou ficar na solidão.
Vai sarar, a dor do meu coração,
pode pisar, me chatiar, me magoar,
me fazer mais uma vez chorar.
Agora isso me perturba,
mas eu sei que tudo isto irá passar,
assim, não vai ficar.
Todas as feridas que ficarem,
todo o mal que tu me fizeres,
mesmo sem querer, eu irei entender.
O tempo irá me curar, e o amor irá mostrar,
que mesmo te perdendo, eu irei vencer.

Me ensina te esquecer

Você me ensinou a ver na simplicidade as coisas mais importantes da vida,
você me abriu os olhos e hoje não sou mais a mesma pessoa,
mas bem que eu gostaria de ser;
pois mesmo não sendo como eu era antes hoje não sou tão feliz assim.
Você me ensinou a valorizar os momentos.
Você me ensinou a te amar todo o tempo,
você me ensinou a falar o que penso
você se tornou importante,
mais também virou sofrimento pois não tenho
nossos momentos,
não tenho seu amor,
não tenho mais palavras,
não tenho simplicidade,
apenas penso na sua lembrança ainda que mais que
me faz sofrer.
Como esquecer você se a cada tristeza lembro-me do teu sorriso?
Se a cada solidão sinto a tua presença?
Se a cada lágrima lembro-me do teu silêncio?
Se a cada palavra lembro-me de ti?
Tu estás em cada ausência.
Tu estás em cada gesto.
Em cada amanhecer da vida.
No silêncio do meu pensamento.
Lembro-me que foi bom te conhecer.
Pensa em alguém no silêncio da noite,alguém que não precisa nem do silêncio da noite para pensar em ti.
Algum dia serei algo
que passou na tua vida..
você me ensinou a te amar
Mais hoje eu te peço
Por favor me ensina a te esquecer.



Estou presa,
Quero ir,
Mas não sei sair,
Quero gritar,
Mas não tenho voz.

Estou doente
não tenho ninguém pra cuidar de mim...
Quero pedir...
Mas não sei dizer...
Quero amar mas não tenho você...


Vem cuidar de mim..
Liberte-me desta prisão...
De-me a mão...
Venha ser o meu amor...
Venha ser meu anjo guardião...
Vem cuidar de mim...