quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Porque existem pessoas que se acham?

As pessoas que se acham não conseguem rir de si mesmas, só sabem rir dos outros, que são sempre feios e menos interessantes que ela.

Falam que nunca levaram um fora, nunca passaram ridículo na vida, conseguem  tudo o quer  e sempre tem um certo arzinho condescendente em relação aos outros, meros mortais.
Parece que nunca sofreram na vida, nunca levaram porrada, nunca nada.
E tudo isso só parece, viu?! Vivem a dar conselhos e "dicas" aos outros sendo que estes mesmo conselhos se encaixam perfeitamente em suas próprias vidinhas vazias.

Detesto pessoas que se acham, porque pessoas que se acham geralmente são burras, fúteis e desinteressantes, são tão autocentradas e amam ditar regras.
A pessoa que se acha não é aquela que chega e fala: sou bom à beça nisso. Escrevo hiper bem, cozinho muito, sou boa nisso ou aquilo, sei lá. Isso eu acho bacana, a gente tem mais é que assumir nossas qualidades sem culpa e sem medo, e anunciá-las e falar do que gostamos e do que não gostamos, e não perder tempo com gente desinteressante ou burra. Mas não perder tempo no mundo, construir o próprio caminho e saber das suas qualidades não é se transformar em pessoas que se acham e achar todo mundo um lixo.
Porque ninguém, mas ninguém mesmo, é a última bolacha do pacote, a última coca-cola no deserto, ou ( essa eu adoro! ) o i do Mississipi. E qualquer pessoa inteligente e sensível sabe disso. E por isso pode rir de si própria, e por isso pode ser feliz. Já pensou, quanta responsabilidade e preocupação, ser sempre o máximo do máximo do máximo?

As pessoas que se acham são as mais perdidas em seus falsos conceitos de superioridade e de orgulho, e de tanto se acharem as melhores, acabam perdidas no labirinto da própria arrogância, sempre vazia e carente de qualquer sentido

Quanto mais analiso esse tipo de comportamento, mais vejo que o que realmente me interessa nessa vida é a perfeição imperfeita, as taras, os fetiches, as obsessões assumidas, o riso, as tentativas às vezes em vão e os tombos. A pessoa que se acha pode ficar lá, no Olimpo dos que se acham, desinteressante, chata e tediosa, que eu fico por aqui, me divertindo, aprendendo, e cheia de interesse pelo mundo e pelas outras "gentes", que podem ser "gentes", sem precisar ser deusas o tempo inteiro.

4 comentários:

Tatiana Moreira disse...

Uauuuu... Arrasou!
É isso mesmo Cris, existem pessoas e "PESSOAS" nesse mundo, alguns se acham tanto que nem conseguem perceber que poderiam ser muito melhor se fossem mais humildes e companheiros.
Mas a vida ensina...

Super beijo para você!

Pelos caminhos da vida. disse...

Excelente texto, bem que uma pessoa que se acha muito deveria de ler, quem sabe mudaria...

beijooo.

Christian V. Louis disse...

Não poderia estar de maior acordo com este post.
Falsa modéstia é tão mesquinho quanto pessoas que se acham.
Quem tem talento (e todos tem talento em algo) precisam mesmo demonstrar ao mundo e oferecê-lo.
A respeito destas pessoas que se acham, eu creio que em seus interiores, por mais que se neguem e sempre mantenham a pose de poderosas, ou ameaçadoras, ou mandonas ou qualquer outro adjetivo ruim que possuam, elas deixam de viver suas próprias vidas para focarem-se na dos outros, para os outros perceberem seu valor. Porque quem "se acha", é porque não sabe do seu real valor e usam esta máscara para poder sobreviver.
Gostei muito do estilo do seu blogue, passarei a segui-lo.
Gostei também da ousadia com que faz uso das palavras.

http://escritoslisergicos.blogspot.com

ANTÓNIO SANTOS (TOMANEL) disse...

É verdade Cris.
As verdades são para se dizerem.
Olha que eu não me acho isto ou aquilo. Sou o que sou e nada mais. Quem gostar, gosta, quem não gostar, que se deite ao pé.
Um abraço cá do Algarve - Portugal.